You are currently browsing the category archive for the ‘Brincadeiras’ category.

Pessoal, o blog mudou de endereço!!

A partir de hoje, você encontra as melhores brincadeiras, quebra-gelos, jogos, gincanas, etc., no nosso novo endereço: ideiasparajovens.blogspot.com!

As brincadeiras que já estão aqui não sairão, mas apenas o novo endereço será atualizado com novas programações para jovens, teens e kids.

Vejo vocês lá!!

Um ótimo quebra-gelo que também serve para fazer as pessoas conhecerem umas às outras.

Você vai precisar de:

  • Bolinhas de tênis
  • Outros objetos pequenos e macios (brinquedos infantis, etc.)

1a Rodada: Coloque todos em círculo, de pé (participe do círculo também). Explique que você vai atirar a bola de tênis para uma pessoa qualquer da roda e dizer “Olá Fulano, meu nome é Beltrano, vai!” Então faça isso atire a bola para o Fulano. O Fulano, ao receber a bola, deve dizer: “Obrigado, Beltrano! Olá Cicrano, meu nome é Fulano, vai!” Então atira a bola para uma terceira pessoa, o Cicrano, que segue a mesma fórmula. Assim prossegue até que todos tenham passado a bola e ela retorne a você, que começou a brincadeira.

2a Rodada: Diga “Ótimo, vamos ver se conseguimos fazer de novo – na mesma ordem, sempre usando os nomes dos outros. Lembre de sempre agradecer usando o nome da pessoa, e atirar adiante também usando o nome da pessoa. Não precisamos mais falar nosso próprio nome. Portanto é só dizer, por exemplo: Obrigado, Fulano. Cicrano, vai”! A ordem deve ser exatamente igual à anterior. Se alguém não lembrar ou se enganar, ajude-os.

3a Rodada: Diga “Ótimo, vamos fazer de novo, mas desta vez, vamos tentar o mais rápido possível, OK? Vamos lá! Fulano, vai…”etc., e comece novamente.

4a Rodada: Diga “Muito bom, mas conseguimos fazer mais rápido que isso! Quero ver agora a velocidade máxima! Fulano, vai!!” Comece com muito entusiasmo e jogue a bola para começar. Depois que a bola passou por algumas mãos, tire uma segunda bola do bolso (surpresa!), e comece: “Olá Fulano, vai!” e jogue. Como todos já estão bem treinados, a segunda bola já vai meio automática. Depois de um tempo, pode introduzir a terceira, quarta bolas, até mais… (note que quando as bolas voltarem para você, que iniciou, continue jogando-as adiante).

Para um pouco de humor, coloque um número absurdo de bolas, ou comece a jogar outros objetos (brinquedos infantis macios, etc.) até que as coisas saiam fora de controle!

Essa é uma brincadeira que você pode fazer quando estiver com o grupo de jovens e a igreja vazia à sua disposição.

Escolha alguns versículos (é interessante que sejam versículos que tenham relação com a lição / estudo da noite).  Cada pessoa deve ter uma Bíblia e todos começam sentados na última fileira de cadeiras do templo. Começe a ler o versículo, e não pare de ler o texto até que alguém o encontre na sua Bíblia, fique de pé e comece a ler junto. Essa pessoa que leu corretamente pula uma fileira para frente. Assim continua até a primeira pessoa chegar na fileira de cadeiras mais da frente, vencendo a brincadeira. Ou então divida em times e estabeleça que todas pessoas do time devem chegar à primeira fileira (cuidado que a brincadeira pode se tornar comprida).

É como o jogo Batalha Naval, porém em tamanho família!

Divida o local do jogo em duas partes de forma que um lado não possa enxergar o outro (creio que a forma mais fácil é amarrar uma corda e colocar um lençol por cima).

A seguir, as pessoas de cada time escolhem um local para si e não podem se mover daí. Quando o jogo começa, cada time ganha uma bola (de meia, de vôlei, de borracha, etc.) e devem tentar atingir o outro time com essas “bombas”. Se alguém for atingido pela “bomba”, está fora e senta ao lado da quadra até o jogo acabar. Não vale se mexer para desviar da bola (embora você possa permitir que se movam desde que não tirem os pés do lugar; cuide bem).

Obs: cada lado precisará de pessoas responsáveis por pegar a bola e atirá-la para o outro lado novamente.

Em uma mesa de pingue-pongue, retire a rede e coloque uma bolinha no meio. Faça dois times, um de cada lado da mesa. Com as mãos nas costas, eles devem soprar a bolinha para fazê-la cair do lado do time adversário. Se a bola rolar pela lateral da mesa, recoloque-a no centro.

Se começar a demorar demais, use apenas meia mesa! (tome cuidado paa ninguém ficar tonto)

Se você tiver um grupo que gosta de experimentar brincadeiras novas, essa é uma beleza, mas requer um pouco de preparação.

Vamos precisar de:

  • Rolos de filme plástico (desses para embrulhar coisas, em geral comida)
  • Bananas
  • Pratos
  • Tesouras (para depois que a brincadeira acabar!)

Divida o grande grupo em grupos pequenos (3 a 4 pessoas por grupo é o melhor). Um das pessoas de cada grupo é escolhida como a centopéia, e os demais do grupo embrulham a centopéia em filme plástico (desde o pescoço até os pés, envolvendo também os braços e as pernas).
No JÁ, as “centopéias”, já deitadas de barriga no chão, devem rastejar até o outro lado da sala e comer uma banana. O primeiro time cuja centopéia acabar a banana vence.

Obs.: tome cuidado para que as centopéias não caiam quando estão sendo enroladas. Senão elas não terão como se segurar! Embrulhe as pernas por último.

Pegue três (ou mais) voluntários e coloque uma banana descascada num prato para cada um, em uma mesa em sua frente. Coloque vendas nos jogadores e explique que no JÁ eles devem comer as bananas sem usar as mãos e quem terminar primeiro vence.

Obs.: Se estiver a fim de pregar uma peça em alguém, faça como acima, mas após colocar a venda nos participantes, retire as vendas de todos menos um, e deixe-o pensar que está competindo com os outros (gritem e torçam como se fosse mesmo uma competição). No fim retire sua venda e mostre que ele ganhou, pois ninguém mais comeu sua banana. O pessoal vai rir bastante.

Antes da brincadeira, pegue duas fotos / desenhos / versículos bíblicos, recorte em peças como um quebra-cabeça e coloque as peças dentro de balões. Deixe separado de forma que os balões contendo as peças de cada desenho não se misturem.

Divida o pessoal em dois times. Amarre um balão com barbante no tornozelo de cada um. Cuide para um grupo ficar com as peças de um dos quebra-cabeças, e outro grupo com as peças de outro. No JÁ os participantes tentam estourar os balões dos adversários, pisando neles. O grupo que montar primeiro a foto / desenho / versículo que estava dentro dos balões oponentes, vence.

Essa faz sucesso!

Essa brincadeira deve ser feita em um local aberto. Embora possa ser feita num campo, dessa forma ela perde muito a graça; o melhor é um sítio, parque, fazenda, ou outro local com lugares para se esconder, obstáculos e objetos como árvores, arbustos, etc.

Divida o grupo em dois times. Divida o local em dois territórios, com limites. Limites podem ser estradas, cercas, trilhas, riachos, árvores (ou uma corda caso não haja nada disponível). Prepare duas “bandeiras” (camisetas velhas amarradas em galhos, ou outro objeto razoavelmente grande e colorido o suficiente para ser notado mais ou menos de longe) e dê uma para cada grupo. Coloque cada time em seu território.

Partindo da divisória de territórios, os times têm até 200 passos (mudar o limite de acordo com o tamanho do local) para caminhar e então colocar a bandeira no solo. Deve ser um local visível a pelo menos algum lugar a 15 metros de distância da bandeira, mas que não precisa ser diretamente visível de outras direções (vale o bom senso).

Depois de três minutos dê o sinal para iniciar o jogo. O objetivo dos jogadores é capturar a bandeira do outro time e trazê-la a salvo até seu próprio território.

Quando um jogador entra em território inimigo, pode ser capturado: basta que um jogador inimigo encoste nele. Nesse caso, pode acontecer o seguinte:

  • o jogador pego cai fora do jogo (para jogos mais rápidos)
  • o jogador pego é levado para a “prisão” (um local escolhido no território para onde vão os capturados.)

Caso você jogar com a prisão, que é mais divertido (e mais demorado), quando um jogador capturar um inimigo, deve segurá-lo e levá-lo até a prisão. Se soltá-lo no meio do caminho (digamos, para perseguir um outro inimigo) o que havia sido capturado está livre. Porém é proibido simplesmente resolver fugir! É possível prender até dois presos por vez (segurá-los com as duas mãos). Um prisioneiro já capturado, entretanto, não precisa colaborar para permitir ao seu detentor correr atrás de outro inimigo.

Os jogadores podem libertar um companheiro preso ao ir ao território inimigo, na prisão, e tocá-lo. Só é possível libertar um preso por vez, pois é necessário voltar com ele até o próprio território. (Você pode deixar o jogo mais dinâmico, entretanto, ao permitir que diversos prisioneiros possam ser libertados de uma vez, porém assim que libertos possam ser capturados novamente.)

Se alguém que já capturou a bandeira for pego, a bandeira volta para a base e o jogador é conduzido à prisão.

Podem haver participantes guardando sua bandeira, porém eles não podem chegar a menos de 5 metros da própria bandeira. (Advirta o pessoal de que colocar gente demais guardando a bandeira revela o local onde ela está). Portanto, se um jogador inimigo conseguir chegar a até menos de 5 metros da bandeira ele não pode ser capturado; porém no momento que sair desse raio de alcance, pode ser capturado.

Quando alguém capturar a bandeira e voltar são e salvo ao próprio território, o time venceu o jogo.

Se houver muitos presos e o jogo começar a trancar, o líder pode gritar “Prisão Aberta”! Então todos presos do jogo são libertos.

Variação:

Se tiver muita gente, ou se você quiser tentar uma maneira um pouco diferente, divida em três grupos (A, B e C). O jogo começa como o normal, porém digamos que A captura a bandeira de B. Nesse caso colocam-se as duas bandeiras juntas e A e B se tornam um time só, contra C. É ótimo porque os times são obrigados a capturar logo as bandeiras dos outros, senão logo se formará um time muito maior contra eles. É possível fazer isto com mais que três times!

Sugestão: Amarre uma fita colorida no peito de cada time, ou arranje outra forma de identificação para ficar mais fácil ver logo de que time que um jogador é.

Vamos precisar de:

  • balões (coloque um pouquinho de água dentro para dar mais peso)

Arrume 4 fileiras de cadeiras mais ou menos assim:

1 2 3 4
[ ] [ ]
[ ] [ ]
[ ] [ ]

Nas fileiras 2 e 3 os jogadores ficam de costas um para os outros, e nas fileiras 1 e 2 (e 3 e 4) os jogadores estão sentados de frente uns para os outros. O ideal são 3 a 5 cadeiras por fileira, portanto o jogo dá para 12-20 pessoas mais ou menos.

Senta um jogador em cada cadeira. As fileiras 1 e 3 são um time, as fileiras 2 e 4 outro time. Jogue um balão bem no meio do “campo”. O objetivo do time 1 e 3 é fazer o balão passar por cima da fileira 4 e cair no chão, e o do time 2 e 4 é fazer o balão passar por cima da fileira 1. Os jogadores não podem levantar (deixar de encostar) da cadeira.

Deixe um líder de cada lado para jogar o balão de volta se ele for cair pela lateral.

Se houver mais gente, é possível até fazer o jogo com 6 fileiras.

I Coríntios 15.58

“Portanto meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.”
Esta página oferece aos líderes de ministérios de grupos / células de jovens, adolescentes (teens), pré-adolescentes e crianças muitas idéias para as reuniões de seus grupos, seja para brincadeiras, ilustrações de estudos, quebra-gelos, gincanas, dinâmicas de grupo, etc.

Estatísticas

  • 1,349,276 visitas até agora
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 68 outros seguidores